Inglês é um idioma relativamente simples e fácil de aprender, mas não é assim para todo mundo. Muita gente tem dificuldade de aprender, por vários motivos, que vão desde as diferenças em relação ao português até a vergonha em praticar a pronúncia em público. Mas não dá para se conformar e deixar por isso mesmo, concorda?

Saber falar o idioma inglês, ao menos no nível de escrita e leitura, é mandatório nos dias atuais. Virtualmente todas as empresas (para qualquer cargo) exigem algum nível de domínio do idioma, curiosamente até para as vagas onde o profissional não precisa fazer uso da língua estrangeira, muitas vezes como simples critério de seleção, dado o grande volume de candidaturas.

Então, para aqueles que têm dificuldades, como vencê-las? Grosso modo, depende de qual dificuldade você apresenta ou, entre todas, qual representa a maior barreira para você. Mas quais são as dificuldades mais comuns? Vamos listar algumas:

Timidez na hora de falar

A opção mais óbvia para quem começa a aprender a falar o inglês (ou qualquer outro idioma) é procurar uma escola para ter aulas presenciais em salas com algo em torno de 12 alunos. Enquanto é o professor que está dando as explicações e os exercícios estão sendo feitos no livro ou caderno, tudo bem. Mas aí sempre vem aquele momento em que o professor pede para você tentar pronunciar uma determinada palavra ou frase. Aí vem um frio na barriga, uma tremedeira e não sai nada, por causa do nervosismo.
Uma segunda opção, neste caso, seria optar por aulas particulares, em casa ou em uma sala de reuniões, no ambiente de trabalho. Para muita gente isso é até pior, pois aí não tem a menor chance de escapar das questões e da prática oral.

 

Tempo

Outro grande problema de quem precisa fazer um curso fora do horário de trabalho é encontrar tempo, afinal, a vida moderna nos exige lidar com um número considerável de atividades diárias – trabalho, faculdade, cursos de educação continuada, médico, academia, filhos etc. E para piorar, a questão dos deslocamentos urbanos tem se tornado, cada vez mais, um desafio quase intransponível, e isso não é exclusividade das grandes cidades não, qualquer cidade hoje tem o seu horário de pico. Isso tudo para falar somente do tempo gasto na escola, mas só ir para as aulas presenciais não basta, tem que praticar nas horas livres, estudar para as provas e ainda desenvolver alguns projetos a mais.

 

Relação custo x benefício

Aí vem um bem tão escasso quanto o tempo, o dinheiro. Investir em um curso de idiomas não é mais tão caro, mas ainda não se pode dizer que é acessível a todos, principalmente se considerarmos o tamanho do território brasileiro e os contrastes sociais. Quantas pessoas conseguem arcar com as contas comuns a todos e ainda fazer sobrar dinheiro para investir em aprimoramento pessoal e profissional? Quantos dispõem de carro e dinheiro extra para a gasolina?

 

Isso tudo, acaba desmotivando aqueles que têm tais dificuldades e o resultado acaba sendo a desistência contumaz, o desperdício de tempo e dinheiro e, o mais danoso, a perda da autoestima e a crença numa falsa incapacidade ou inabilidade em aprender outro idioma.

 

Pensando nisso, o Designer Erivan Witamar, resolveu juntar o útil ao agradável e desenvolver um curso introdutório que pudesse ser tão simples e conveniente que até mesmo as pessoas com menos recursos e mais dificuldades pudessem se familiarizar com a língua inglesa, por ser fluente no idioma e também designer há mais de 20 anos. Sua conclusão foi que a melhor maneira de apresentar o idioma aos iniciantes era um e-book com apoio de áudio para as pronúncias e com o conteúdo do nível básico diagramado em tabelas e trocando as convenções fonéticas por representações mais coloquiais da pronúncia, tornando o aprendizado rápido, fácil e intuitivo. O melhor de tudo é que o formato em que foi produzido este material, permite sua leitura no próprio browser de internet, sem a necessidade de baixar nenhum aplicativo especial e Cross Platform, que significa ser independente do sistema operacional que você estiver usando, desde que você tenha acesso à internet, mas caso prefira ter a possibilidade de utilizar o e-book mesmo sem a internet ele também pode ser baixado e ser lido usando o Adobe Acrobat, que hoje em dia é bem comum para leitura de arquivos PDF.

 

Chamei esse curso básico de Ground Zero – 1st step, cuja tradução é algo como: Nível Zero – 1º passo, ou seja, um conteúdo especialmente preparado para quem nunca teve contato com o idioma ou que já tentou iniciar o aprendizado algumas vezes sem sucesso.

 

Imagem ilustrativa do e-book Ground Zero First Step
e-book Ground Zero – 1st Step

 

Você poderá ver maiores detalhes sobre este produto clicando no botão abaixo:

 


 

Conheça os detalhes